Sem categoria

Empresários criam associação de envasadores de água mineral

Postado em Atualizado em

No último ano, foram envasados no Brasil cerca de 11,6 bilhões de litros de água mineral, o que corresponde a 55 litros de consumo por pessoa. Há 30 anos, o consumo anual era de apenas 100 milhões de litros. “Percebemos que o brasileiro começou a dar uma importância muito maior para a água mineral, mas ainda é pouco. Consumimos muito menos se comparado a Países como Alemanha, EUA e México”, explica Manoel Dirceu Neto, diretor da Água Mineral Itati e presidente da recém-criada Associação Gaúcha de Envasadores de Água Mineral – AGEDAM.

Na noite desta quinta-feira (20), a diretoria da associação vai reunir aproximadamente 100 empresários do setor e seus principais fornecedores para inaugurar oficialmente a AGEDAM. O local escolhido foi Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. “Vamos prestar apoio aos envasadores e constituir os interesses desse setor nos tornando um órgão representativo frente ao cenário político”, ressalta Neto.

Entre os projetos da Associação, estão:

– Combater a concorrência desleal. “Vamos criar um conselho de ética para monitorar as empresas que podem nos denegrir”, afirma o presidente da AGEDAM.

– Obrigatoriedade do selo de qualidade. “Entendemos que o futuro da água mineral é a qualidade. Quem não tiver essa característica não vai permanecer no mercado de jeito nenhum”, diz Neto.

–  Incluir a água mineral na cesta básica, como já acontece nos estados de Santa Catarina e Paraná. “Segundo a Anvisa, até pouco tempo atrás a água era tratada como bebida e hoje é considerada alimento. Com essa ênfase, vamos brigar por essa inclusão”, assegura o empresário.

Fonte: New Trade

http://www.umv.com.br/index.php/atacadoindustria/8148-empresarios-criam-associacao-de-envasadores-de-agua-mineral

Destaque Gazeta – Sossella lidera formação de grupo de trabalho para debater inclusão da água mineral na cesta básica

Postado em Atualizado em

Realizada a partir de uma solicitação do deputado estadual Gilmar Sossella (PDT), uma audiência pública da Comissão de Economia e Desenvolvimento Sustentável da Assembleia Legislativa, na manhã desta quarta-feira (6), na Sala Dr. Maurício Cardoso, no Palácio Farroupilha, debateu a possibilidade de inclusão da água mineral na cesta básica do Rio Grande do Sul.

Sossella defende a adoção da medida como uma forma de reduzir o ICMS sobre o produto, que cairia para 7%, beneficiando diretamente o consumidor final. “Existem pesquisas que mostram que cresceu muito o consumo de água mineral pelas classes menos favorecidas economicamente. Isso se explica pelo fato de, em muitos casos, a água encanada não chegar até as casas ou não ter boa qualidade. É necessário suprir essa carência com um acesso mais barato a este produto tão essencial à vida”, disse o deputado do PDT.

Presidente da Associação Brasileira da Indústria da Água Mineral (Abinam), Carlos Alberto Lancia trouxe para o debate um pouco do histórico tributário do produto, que em 1992 foi incluído na categoria de bebidas, passando a pagar impostos mais altos. Somente no dia 18 de setembro do ano passado o governo federal decretou uma lei que reduziu a zero a alíquota de Pis e Cofins da água.

Para Lancia, o Rio Grande do Sul está ficando para trás no mercado devido aos impostos. “Santa Catarina foi o primeiro Estado a incluir a água mineral na cesta básica. O Paraná e outros Estados do Nordeste possuem alíquotas em 7%”, apontou.

Sossella, que é o autor do Projeto de Lei 202/2013, que visa justamente incluir a água mineral no rol dos produtos da cesta básica do Estado, reforçou que a água é um alimento universal. “Estudos apontam que, a cada R$ 1 investido pela pessoa em água mineral, se reduz em até R$ 4 o gasto em saúde. Água é vida, é um direito de todos e, portanto, merece ser tratada com muita atenção por parte do poder público”, declarou o deputado trabalhista.

Diretor comercial da Água Mineral Sarandi, Jairo Zandoná lembrou que se produtos como sal e açúcar, que comprovadamente fazem mal à saúde quando consumidos incorretamente, integram a cesta básica, não há motivo para a água, que não tem nenhuma restrição, fique de fora.

Já o empresário Pery Pereira levantou um questionamento ao secretário estadual adjunto da Fazenda, André de Paiva Filho: seria possível diminuir o ICMS da água mineral e compensar a arrecadação com um aumento na cobrança sobre os refrigerantes, por exemplo?

Para o secretário adjunto, a resposta deve ser dada pela própria sociedade gaúcha. “Se a Assembleia, juntamente com todos os interessados e a sociedade em geral, promover este debate e chegar à conclusão de que é uma alternativa a ser buscada, certamente o governo do Estado irá analisar com muita atenção esta possibilidade”, disse Paiva Filho.

Dentre os principais encaminhamentos da audiência pública está a formação de um grupo de trabalho, formado por parlamentares, por representantes de entidades e empresários do setor, que irá discutir alternativas e ampliar o debate sobre a necessidade de inclusão da água mineral na cesta básica, em diálogo permanente com a Secretaria Estadual da Fazenda.

Também participaram da audiência os deputados Nelson Härter (PMDB), Décio Franzen (PDT) e Jorge Pozzobom (PSDB), o prefeito de São José do Hortêncio, Clóvis Schaeffer (DEM), o presidente da Associação Gaúcha dos Envasadores de Água Mineral, Manoel Dirceu Ribeiro Neto, o vice-presidente da Associação dos Distribuidores e Engarrafadores de Água Mineral, Leandro Greff, o chefe de gabinete do deputado Sossella, Artur Alexandre Souto, o coordenador da Secretaria do Planejamento, Gestão e Participação Cidadã, Joel Cavalheiro, além de empresários e lideranças.

(Foto: Marcos Eifler)

fonte: Portal Gazeta 670

Sossella reforça ao secretário da Fazenda a importância da inclusão da água mineral na cesta básica

Postado em Atualizado em

Em uma reunião realizada na manhã desta segunda-feira (4), na sede da Secretaria Estadual da Fazenda, em Porto Alegre, o deputado estadual Gilmar Sossella (PDT) reforçou ao secretário, Odir Alberto Pinheiro Tonollier, e ao secretário adjunto da pasta, André Luiz Barreto de Paiva Filho, a importância de a água mineral ser incluída na relação de produtos que integram a cesta básica do Rio Grande do Sul.

link para imagem http://bit.ly/128XTPC

Ao lado de empresários e lideranças do setor, o deputado PDT reforçou que trata-se de um bem essencial à saúde e que há muito tempo deixou de ser um luxo para se tornar algo extremamente necessário no dia-a-dia das pessoas. “A água mineral se popularizou e é necessário que o tratamento tributário por parte do governo acompanhe esta realidade, para que o preço ao consumidor final diminua”, destacou Sossella.

Durante a reunião, Manoel Dirceu Ribeiro Neto, presidente da Associação Gaúcha dos Envasadores de Água Mineral, reconheceu que o governo do Estado deu um importante passo no fortalecimento do setor ao reduzir em 60% a base de cálculo do ICMS, de 17%, que incide sobre o valor da água mineral envasada. A medida entrou em vigor na sexta-feira (1º) e tem validade por 12 meses.

De acordo com o secretário da Fazenda, a decisão tem por objetivo equalizar as formas de cobrança do imposto sobre o setor, a fim de não causar injustiças entre as empresas. Antes, a empresa poderia optar por duas formas distintas de recolhimento do ICMS, dentro do sistema de substituição tributária, o que constantemente causava prejuízos e diferenças para as empresas.

Sossella, que é o proponente do Projeto de Lei 202/2013, que visa incluir a água mineral no rol dos produtos da cesta básica do Estado, também avaliou positivamente a ação do governo, porém afirmou que seguirá defendendo a inclusão da água mineral na cesta básica. “Inclusive, aproveitamos a oportunidade para reiterar ao secretário o convite para que ele participe, nesta quarta-feira, a partir das 9h30min, na Assembleia, da audiência pública da Comissão de Economia e Desenvolvimento Sustentável que irá debater abertamente o tema”, concluiu o deputado.

Também participaram do encontro o chefe de gabinete do deputado Sossella, Artur Alexandre Souto, o coordenador da Secretaria do Planejamento, Gestão e Participação Cidadã, Joel Cavalheiro, o assessor técnico do deputado Adão Vilaverde, Gilmar da Rosa, o diretor do Armazém das Águas, Ermínio Vivian, da Serra Maior, Guilherme Zaniol e da Vida Leve, Renato Rizzon, além do ex-vice-prefeito de Guaíba, Marcelo Maranatta.

fonte:
Cleber Bertoncello – MTE 11.413 | PDT – 19:29-04/11/2013 – Foto: Cleber Bertoncello
© Agência de Notícias – Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul
As matérias assinadas pelos partidos políticos são de inteira responsabilidade dos coordenadores de imprensa das bancadas da Assembleia Legislativa. A Agência de Notícias não responde pelo conteúdo das mesmas.