Últimas notícias do evento

Sugestão de Leitura

Postado em

aguas minerais do brasil
Águas Minerais do Brasil – Silvia Helena Serra – Millennium Editora

O Engenheiro de Minas responsável pela fiscalização do DNPM – Departamento Nacional de Produção Mineral, junto as indústrias de água mineral no Rio Grande do Sul, o Sr. Valério Miguel Grando, em sua palestra no I Seminário Gaúcho de Águas Minerais, havia citado duas publicações interessantíssimas para o público, no qual repassamos a nossos leitores.

 

I Seminário Gaúcho de Águas Minerais

Postado em Atualizado em

cabecalho_agedam_003

A Associação Gaúcha das Envazadoras de Água Mineral – AGEDAM realizou no dia 20 de novembro de 2014, na sede da ACOMAC – Associação dos Comerciantes de Materiais de Construção, o I Seminário Gaúcho de Águas Minerais, reunindo além dos empresários da indústria de água mineral no estado do Rio Grande do Sul, também outros envolvidos na cadeia produtiva da água mineral no estado, como técnicos, estudantes e outras pessoas de interesse na área.

O evento serviu para comemorar a passagem do primeiro de atividades da entidade, e para reunir e a cadeia produtiva da água mineral no estado, servindo como intercâmbio de conhecimentos e solução de problemas.

Na oportunidade palestraram: Valério Grando – Engº de Minas, Especialista em Recursos Minerais do DNPM/RS; Josete Baialardi Silveira, Nutricionista; Especialista e Mestre em Ciências e Tecnologia de Alimentos ICTA/UFRGS; Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos ICTA/UFRGS; Especialista em Saúde da Divisão de Vigilância Sanitária do Estado do Rio Grande do Sul, desde 2001; Dra. Maria Alice Ibanez Duarte – Engenheira Química, chefe do LAMIN/RJ e Ana Cristina Bonfim Peixoto – Engenheira Química responsável pelos estudos in loco na SUREG/PA da CPRM; Dr. Eduardo Tondo, Professor de microbiologia e controle de alimentos ICTA/UFRGS e Júnia Capua De Lima Novello,  Pós-Doutoranda UFRGS; Engenheira de Alimentos Univ. Fed. de Viçosa; Professora da Univ. de Caxias do Sul; Cristiane Mascarenhas Sampaio, Eng. Química UERJ; Dra. Processos Químicos e Bioquímicos UFRJ; Especialista em Segurança Alimentar CEFETQ-RJ; Pesquisadora-tecnologista da Divisão de Regulação técnica e Avaliação da conformidade do INMETRO há 12 anos; além de representantes do BADESUL e PriceWaterHouse do Brasil.

Entre os mais variados temas ligados à agua mineral, pudemos conhecer as inovações científicas que estão em desenvolvimento, principalmente no que se refere ao fim das pseudômonas na água mineral. Assunto que despertou grande interesse dos participantes. Também foi apresentado questões relativas a Portaria 307 que regulamenta a concessão do Selo Qualidade da água mineral pelo INMETRO.

Manoel Dirceu Ribeiro Neto, presidente da AGEDAM, afirma que o evento foi um sucesso e haverá empenho para a realização de uma segunda edição do Seminário.

Cobertura fotográfica completa no link do Programa Network

Cobertura de algumas entrevistas:

MANOEL DIRCEU RIBEIRO NETO – PRESIDENTE AGEDAM RS
ERMINIO VIVIAN – MINERAÇÃO CAMPO BOM
TARCIANO OLIVEIRA – PRESIDENTE ACINAM
PROF. DR. EDUARDO TONDO – PALESTRANTE
MARCELO PEREZ – PALESTRANTE E SUPERINTENDENTE DE OPERAÇÕES BADESUL
MARIA DA GRAÇA COSTA – SÓCIA-PROPRIETÁRIA FONTE PEDRAS DO SUL
ANTONIO MOACIR LUMERTZ – CONSELHEIRO AGEDAM E SÓCIO-PROP. ÁGUA MINERAL STO. ANJO
PROF. DRA. JÚNIA NOVELLO

BADESUL confirma presença no Seminário Gaúcho de Águas Minerais

Imagem Postado em Atualizado em

Na última quinta-feira, dia 06 de novembro, a diretoria da AGEDAM reuniu-se em audiência com a diretoria do BADESUL afim de convidar-lhes para ministrar palestra sobre “financiamentos e oportunidades” desenvolvidos pela instituição e pelo Governo do Estado do Rio Grande do Sul, durante a realização do I Seminário Gaúcho de Águas Minerais que tem o objetivo de qualificar e debater o setor produtivo da água mineral no estado.

O presidente Manoel Dirceu de Ribeiro Neto e o assessor Adilson Correia Di Silva, reuniram-se com o presidente Marcelo de Carvalho Lopes e com o Superintendente Maureci Bratti Bergler. O convite foi muito bem recebido pela instituição, onde o próprio presidente colocou-se a disposição em participar do Seminário, que alem de apresentar a instituição e as oportunidades de negócios disponíveis na mesma, também colocou-se a disposição de levar em sua pasta para missão empresarial para a China, a possibilidade de negociação das águas minerais gaúchas com o gigante da indústria mundial.

Segunda maior economia do mundo, a China vem pagando um elevado preço ambiental pelo boom econômico: ar poluído, terras contaminadas, áreas inabitáveis, desertificação e, naturalmente, uma séria crise de águia potável. O país tem apenas cerca de 6,5% dos recursos renováveis de água do planeta para sustentar 1/5 da população mundial.” (texto: Água, o bom exemplo chinês – site ABINAM)

A ideia de levar as águas gaúchas partiu da própria China que tem comprado o produto na Europa mas quer ampliar o leque de fornecedores pelo mundo, pois o país exporta grande quantidade de produtos manufaturados e mesmo importando grande quantidade de commodities, ainda levam milhares de contêineres vazios de volta. A Comitiva de empresários gaúchos visitarão a China entre os dias 07 a 17 de novembro e trarão maiores informações sobre esta possibilidade de negócios para as empresas associadas a AGEDAM.

presidente BADESUL – Marcelo Lopes

Marcelo Lopes é mestrado em engenharia de produção pela UFSC e já exerceu atividades como Secretário de políticas de informática junto ao Ministério de Ciência e Tecnologia; Assessor Especial da Casa Civil durante ministério de Dilma Rousseff; e está como presidente do BADESUL desde 2011.

AGEDAM realizará I Seminário Gaúcho de Águas Minerais

Postado em Atualizado em

cabecalho_agedam_003A AGEDAM irá comemorar seu primeiro aniversário com a realização do I Seminário Gaúcho de Águas Minerais, que terá caráter mais técnico, focado na Qualidade da Água Mineral que chega ao público final.

Na ocasião acontecerão palestras de representantes do DNPM, LAMIN/CPRM, INMETRO e outras entidades que fazem o controle da cadeia produtiva de água mineral no Estado do Rio Grande do Sul.

As inscrições para associados deverão ser feitas de forma gratuita pelo e-mail diretoria@agedam.org e para não associados será cobrada uma taxa de R$ 300,00 (trezentos reais) que contempla alem da participação nas palestras, também coffe-breaks da manhã e tarde, almoço executivo que servirá como integração entre os participantes.

Envasadores, não deixem de participar e incentivar esta iniciativa de suma importância para todos nós.

AGEDAM tem pleito atendido pelo Governo do Estado do Rio Grande do Sul

Postado em Atualizado em

É com grande satisfação que compartilhamos na íntegra correspondência recebida da Diretoria da ABINAM/SINDINAM sobre renovação da pauta do ICMS:

Prezados Senhores
Segue abaixo Decreto Nº 51931 DE 22/10/2014 publicado no DOE do Rio Grande do Sul, que reduz o ICMS para água mineral no Estado.
Parabenizamos todos os envasadores pela grande conquista !
A Vitória é a arte de prosseguir onde os outros desistem!
Diretoria ABINAM/SINDINAM

Decreto Nº 51931 DE 22/10/2014
Publicado no DOE em 23 out 2014
Modifica o Regulamento do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (RICMS).
O Governador do Estado do Rio Grande do Sul, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 82, inciso V, da Constituição do Estado,
Decreta:
Art. 1º Com fundamento no art. 58 da Lei nº 8.820 , de 27 de janeiro de 1989, fica introduzida a seguinte alteração no Regulamento do ICMS, aprovado pelo Decreto nº 37.699 , de 26.08.1997:
ALTERAÇÃO Nº 4368 – No Livro III, o parágrafo único no art. 92 passa a vigorar com a seguinte redação:

“Parágrafo único. No período de 1º de novembro de 2014 a 31 de outubro de 2015, a base de cálculo prevista no inciso II, relativamente ao item I da Seção III-F do Apêndice II, será reduzida para 60% (sessenta por cento) do seu valor.”
Art. 2º Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação, produzindo efeitos a partir de 1º de novembro de 2014.

PALÁCIO PIRATINI, em Porto Alegre, 22 de outubro de 2014.

TARSO GENRO,
Governador do Estado.
ODIR TONOLLIER,
Secretário de Estado da Fazenda.
Registre-se e publique-se.
FLÁVIO HELMANN,
Secretário Chefe da Casa Civil.

Água mineral vai ter selo de qualidade do Inmetro

Imagem Postado em Atualizado em

Criação da certificação foi um pedido das fabricantes para aumentar a competitividade do setor. Produtos terão embalagem e conteúdo verificados

RIO – O consumidor que quiser ter certeza que a água mineral está dentro dos padrões de qualidade estabelecidos pela legislação do setor contará com a ajuda do Inmetro. O instituto publicou no mês passado, e já está em vigor, a Portaria 307/2014, que concederá um selo de qualidade às águas mineirais naturais e potáveis envasadas, vendidas em embalagens descartáveis e de vidro retornável que atenderem aos Requisitos de Avaliação da Conformidade estabelecidos pelo documento. A adesão por parte das fabricantes é voluntária, já que a regulamentação não foi motivada por constatação pela reguladora do setor de problemas na qualidade das águas envasadas no Brasil, explica Roberta Chamusca, técnica da Divisão de Regulamentação Técnica e Programas de Avaliação da Conformidade do Inmetro. Ela conta que o pedido do selo partiu da própria indústria, que busca elevar a competitividade dos produtos feitos no país.

– O pedido de certificação partiu da Abinam (Associação Brasileira da Indústria de Águas Minerais) depois que delegações estrangeiras, por receio de consumir águas brasileiras, trouxeram de seus países a bebida, para o Panamericano (jogos que ocorreram no Rio em 2007). É uma forma de protegerem a competitividade delas. Dessa forma, os consumidores terão maior segurança sobre a qualidade do que estão consumindo – complementa Roberta.

Para obterem o Selo de Identificação da Conformidade, as águas mineral e a potável de mesa envasadas terão de ser aprovadas em uma série de testes feitos em certificadoras acreditadas pelo Inmetro. Serão realizadas desde a inspeção do rótulo e da tampa da embalagem, para verificar se há risco de adulteração do conteúdo, até a determinação das características químicas e microbiológicas das bebidas.

– São feitos testes para verificar se há presença de, pelo menos, cinco bactérias, além do tolerado pela legislação – informou a técnica do Inmetro.

Carlos Alberto Lancia, presidente e hidrogeólogo da Abinam, conta que, das 400 empresas de água mineral do país, pelo menos 10% delas, ou seja, 40 fabricantes, já sinalizaram que vão aderir à certificação. Ele acredita que, a partir dessas adesões, o restante das empresas também vão procurar se habilitar para receber o selo.

– Já temos maquinário adequado para recebermos a certificação. Só precisamos capacitar nosso pessoal para atender ao que pede a regulamentação, que torna ainda mais rígida as regras para o envase de água mineral, inclusive para o controle de bactérias.

Só este ano a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) suspendeu a venda de duas marcas de água mineral natural (Raposo e São Lourenço) por presença, além do permitido pela vigilância sanitária, da bactéria Pseudomonas aeruginosa. De acordo com a reguladora, a bactéria em quantidades como as identificadas nos lotes desses dois produtos pode afetar o sistema imunológico e causar infecção bacteriana. A proibição foi preventiva, tendo em vista que a reguladora não registrou nenhum caso de consumidor que tenha adoecido após consumidor as bebidas. Lancia rebate a informação da Anvisa, e diz que esta bactéria encontrada em quantidade além do permitido pela legislação não causa dano à saúde.

– Ela é comum, inclusive, na água de rede que chega às casas – complementa o presidente da entidade.

O processo de certificação inclui, ainda, auditorias na empresa responsável pelo envase da água, para avaliação dos requisitos de boas práticas de fabricação e o atendimento à legislação vigente.

De acordo com Roberta, como a portaria é recente e as certificadoras ainda precisam se adequar ao regulamento para começar a certificar as fabricantes. Nenhuma indústria requereu o selo ainda, informa. Ela acredita que os consumidores começarão a encontrar águas com selo a partir de 2015.

A certificação toma por base regulamentos da Anvisa e do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) do Ministério de Minas e Energia.
Read more (fonte): http://oglobo.globo.com/economia/defesa-do-consumidor/agua-mineral-vai-ter-selo-de-qualidade-do-inmetro-13642961#ixzz3Ep4cZctT

Reunião conjunta LAMIN/CPRM, DNPM e AGEDAM

Postado em

Aconteceu na segunda-feira, 25/08, na sede da CPRM/SUREG-RS, reunião entre os representantes do Laboratório de Análises Minerais – LAMIN do Serviço Geológico do Brasil – CPRM , do Departamento Nacional de Produção Mineral – DNPM e da Associação Gaúcha das Envasadoras de Água Mineral – AGEDAM, afim de discutir atuação em conjunta entre as entidades.

A CPRM apresentou as diretrizes do laboratório do LAMIN criado em Porto Alegre, que paulatinamente irá desenvolver todas análises químicas das águas minerais gaúchas, mas que por enquanto realizará tão somente as análises in loco, previstas para iniciar em outubro. Os pedidos ao LAMIN continuarão sendo solicitados pelo DNPM, que pediu para AGEDAM organizar banco de dados de todas as fontes, pois o Departamento encontra dificuldade nas vistorias devido encontrar informações imprecisas nos formulários apresentados. Ficou estabelecido que AGEDAM irá solicitar a todas empresas envasadoras, lista de todas fontes (poços) com endereço completo; coordenadas de geoprocessamento – GPS, disponível no boletim do LAMIN; datas de vencimento; número processo/ano; título numerário; e outras informações afim de organizar as análises e fazer o mapeamento das fontes junto ao CPRM.

A criação do LAMIN em Porto Alegre visa facilitar as análises e reduzir os custos para empresas envasadoras, que num primeiro momento já irão desonerar os valores das passagens aéreas dos técnicos que antes tinham que vir do Rio de Janeiro para fazer as coletas. O objetivo é que a médio prazo todos exames sejam feitos em Porto Alegre, mas que por enquanto ainda serão enviados ao Rio de Janeiro para exames mais elaborados. CPRM também está pesquisando laboratórios para credenciar no RS.

As empresas deverão continuar a encaminhar formulários para o DNPM que irá solicitar orçamento para LAMIN afim de encaminhar para as empresas. Após aprovação será montado roteiros de vistoria, onde as empresas ainda estarão responsabilizadas pelo transporte do técnico responsável. Os resultados terão um retorno aproximado de três meses, portanto os pedidos tem que ser feitos com uma antecedência de seis meses.

Estiveram presentes o Sr. José Leonardo Andriotti – Superintendente Regional CPRM; Ana Claudia Viero – chefe LAMIN RS; Ana Cristina Bomfim Peixoto – Engenheira Química LAMIN RS, responsável pelas análises in-loco das fontes de água mineral no estado do Rio Grande do Sul; Suzana Santos da Silva – secretária LAMIN RS; Valério Manoel Grando – DNPM; Manoel Dirceu Ribeiro Neto – Presidente AGEDAM; e Adilson Correia da Silva – apoio administrativo da AGEDAM.